i4 DamSafety

Instrumentação de integridade integrada e inteligente para segurança de barragens

Prevenção de falhas nas instalações da barragem de rejeitos

i4 DamSafety é um conceito desenvolvido por um consórcio de empresas holandesas, italianas e brasileiras que oferece uma combinação de experiências de última geração e única. Oferecemos uma abordagem integrada, inteligente e transparente à integridade geotécnica, monitoramento da estabilidade e gestão da água das instalações de barragens de rejeitos.

Esta abordagem para a segurança de barragens consiste em:

  • análise de risco e aquisição de dados característicos da barragem e seu ambiente
  • modelagem geológica, (geo)hidrológica e geotécnica
  • plano de monitoramento
  • instrumentação: instalação e manutenção
  • ferramenta de monitoramento em tempo real, online, aberta e transparente
  • alarme
  • Previsão e
  • resposta (medidas técnicas).

O problema da segurança da barragem de rejeitos

As barragens e lagoas de cauda são o resultado de muitos anos e às vezes décadas de atividades de mineração. As barragens e lagoas de cauda ocupam volumes muito grandes de material de granulação fina, que -especialmente saturadas com água- são bombas-relógio. Se ocorrer uma falha geotécnica, a gravidade por si só garante que o material será transportado para jusante muito rapidamente.

Em qualquer lugar do mundo, as barragens de rejeitos de minas constituem um grande risco. Por que isso acontece? A principal razão é que as barragens e lagoas de rejeitos são construídas com a filosofia da mineração: rápidas, eficientes e seguras para seus funcionários e operações. Especialmente no passado, as barragens de rejeitos não eram projetadas, mas construídas de acordo com as regras básicas e com base na experiência. As barragens e lagoas de cauda são frequentemente enchidas e levantadas gradualmente e normalmente leva muitos anos e até décadas para chegar a um nível final.

As lagoas de cauda são importantes para as minas, mas principalmente em termos de capacidade. Sem capacidade suficiente as minas não podem descartar seus resíduos e, portanto, não podem operar. Como as bacias de rejeitos são para armazenar os resíduos do processo de mineração, elas estão na "cauda da operação", geralmente distantes das operações de mineração onde a ação ocorre.

Na engenharia civil, por outro lado, é comum projetar estruturas de barragens seguindo uma filosofia bem diferente, abraçando vários critérios de segurança. Estruturas como barragens e diques são projetadas para ter uma longa vida útil, e são construídas com margens de segurança para permitir estabilidade suficiente e considerando, por exemplo, chuvas extremas e terremotos. É prática comum monitorar deformações de barragens, níveis de águas subterrâneas ou chuvas a montante para verificar se a estrutura permanece dentro das margens de segurança.

Como tornar as barragens de rejeitos mais seguras

Se uma barragem de rejeitos de mina não tiver sido projetada utilizando a filosofia de projeto mais atual ou exigida, a barragem deve ser considerada insegura. Para determinar o nível de segurança é possível monitorar o comportamento da barragem. Muitas vezes, isso já é uma exigência legal e o monitoramento de uma barragem de rejeitos faz sentido. No entanto, o monitoramento por si só não diminui o risco. Somente se você tiver medidas para mitigar as causas e as conseqüências de uma possível quebra de represa, o risco pode ser reduzido. Isto é parte de qualquer estratégia de redução de risco.

Entretanto, para se ter um bom sistema de monitoramento e as medidas corretas disponíveis ou implementadas, é necessário primeiro entender todo o sistema de barragens. Isso significa que não só é necessário entender a estrutura da barragem, mas também a geologia de sua fundação, as condições geotécnicas e geohidrológicas dos rejeitos atrás da barragem e, por exemplo, os dados pluviométricos a montante da barragem. Todas essas informações precisam ser reunidas em um modelo de computador abrangente, com base no qual um sistema de monitoramento adequado possa ser projetado.

Complexidade da segurança da barragem de rejeitos

O problema das barragens de rejeitos de minas é complexo e por isso é essencial reunir diferentes especialistas para resolver este problema. Engenheiros geotécnicos, geólogos, geólogos, hidrologistas e engenheiros de minas precisam trabalhar juntos para entender todo o sistema e chegar a uma solução de monitoramento que não só funcionará, mas também salvará vidas. É importante trazer o conhecimento local. Engenheiros mineiros ou residentes muitas vezes têm experiências muito valiosas com eventos climáticos extremos do passado e a história da barragem e da lagoa.

Os sistemas de monitoramento devem ser abertos e transparentes. As pessoas certas devem ser notificadas no momento certo se algo aparecer fora do comum. Em alguns casos, os alertas devem sair imediatamente e as medidas devem ser tomadas no momento certo e na ordem certa. Também deve ser possível rastrear quais medidas foram tomadas e por que razão não foram tomadas medidas. Isso torna a prestação de contas clara e transparente.

Nossa brochura

Clique aqui para nosso folheto em inglês (pdf).

Contato

i4 DamSafety é um conceito de Instrumentação Integrada e Inteligente de Integridade para segurança de barragens. É desenvolvido por um consórcio de empresas holandesas, italianas e brasileiras com tecnologia de ponta e combinação única de experiências em:

• análise e modelagem geológica
• análise de risco geotécnico
• Investigações geotécnicas: amostragem de solos e rochas
• instrumentação e monitoramento geoidrológico e do solo
• análise de dados e gerenciamento de risco

Para maiores informações:

contato Holanda
Mr. Cor Verbruggen (Eijkelkamp)
telephone: +31 (0)313 880 269
mobile: +31 (0)6 51 29 86 46
e-mail: c.verbruggen@eijkelkamp.com

contato Brasil
Mr. Salvatore Scervini (Horizonte Mineiro)
telephone: +55 (31) 975 40 00 54
e-mail: salvatore.scervini@horizontemineiro.com.br

contato Itália
Mr. Paolo Farina (GeoApp)
telephone: +39 (0)55 398 54 70
mobile: +39 (0)320 439 58 90
e-mail: paolo.farina@geoapp.it